terça-feira, 25 de novembro de 2008

Obama apresenta equipe que conduzirá a economia


Por Jeff Mason e Ross Colvin

CHICAGO (Reuters) - O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, apresentou nesta segunda-feira a equipe econômica que irá ajudá-lo a enfrentar a crise financeira, mas não quis dar detalhes sobre o custo de sua proposta de pacote de estímulo de dois anos.

Os mercados financeiros perderam força durante o aguardado anúncio à medida que operadores se desanimavam por conta da falta de detalhes sobre o tamanho do pacote de estímulo que Obama afirmou que lançará em janeiro. Outros democratas afirmaram que o plano irá custa centenas de bilhões de dólares.

Obama ainda não quis especificar se aumentará os impostos para os mais ricos ou se apenas permitirá o vencimento dos cortes de impostos marcados para expirarem em 2010.
Obama afirmou que sua equipe já está trabalhando nos detalhes do pacote para tentar tirar a economia da pior crise financeira desde a Grande Depressão.

"Eu quero vê-lo aprovado imediatamente", afirmou. "Ele (o pacote) será do tamanho e terá o escopo necessário para recolocar a economia nos eixos." Obama, que assumirá o cargo em 20 de janeiro, anunciou sua equipe econômica em coletiva. Os principais líderes desta já eram conhecidos.


Timothy Geithenr, 47 anos, presidente do Federal Reserve de Nova York, será secretário do Tesouro, e Lawrence Summers, 53 anos, ex- secretário do Tesouro no governo do presidente Bill Clinton, será diretor do Conselho Econômico Nacional.
Summers também será o possível sucessor do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, que terá o mandato encerrado em janeiro de 2010.

Obama ainda chamou a economista Christina Romer, professora da Universidade da Califórnia, em Berkley, para liderar o grupo de conselheiros econômicos da Casa Branca e Melody Barnes para liderar o Conselho de Políticas Domésticas. Barnes, ex-conselheira-chefe do Comitê Judiciário do Senado, foi uma conselheira política na campanha presidencial de Obama.
DECEPCIONADOS COM AS MONTADORAS
Obama tem preparado um programa de ajuda para as montadoras de Detroit mas afirmou que ficou decepcionado pois os presidentes- executivos da General Motors, Ford Motor, e Chrysler não apresentaram um plano concreto quando deram depoimentos no Congresso na última semana.
"Eu acho que o Congresso fez a coisa certa, que foi dizer: 'Vocês precisam formular um plano e voltar aqui antes de conseguir qualquer dinheiro dos contribuintes'", disse ele.
A crise econômica se espalhou nos últimos 20 dias desde que Obama venceu a corrida presidencial. Fora uma rápida coletiva, Obama tem sido mais discreto desde sua vitória no dia 4 de novembro, ficando em Chicago para escolher seu gabinete sem, no entanto, revelar suas escolhas.
Quebrando este silêncio com a revelação de sua equipe econômica, Obama sinalizou a sua prioridade em combater a crise econômica.

Sem comentários:

Enviar um comentário