sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Congo


O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou por unanimidade na quinta-feira o envio de mais 3.000 homens para a força de paz presente na República Democrática do Congo.
O contingente adicional pretende ajudar a impedir que uma nova guerra tome conta do leste daquele país.
A missão de paz da ONU no Congo, conhecida como Monuc, é a maior operação do tipo realizada pela entidade internacional no mundo hoje e, temporariamente, depois da chegada dos reforços, contará com pouco mais de 20 mil soldados e policiais.
Grupos internacionais de ajuda criticaram a Monuc acusando-a de permitir a instalação de um desastre humanitário no leste do Congo, uma área do tamanho da França onde cerca de 250 mil pessoas já fugiram de suas casas devido aos combates recentes entre o Exército congolês e rebeldes da etnia tutsi.
O embaixador da França junto à ONU, Jean-Maurice Ripert, que comandou as negociações sobre a resolução autorizando a ampliação da força de paz, disse a repórteres que provavelmente levaria "algumas semanas" para que o contingente adicional chegasse ao Congo.

Ripert sugeriu ainda que a Monuc precisava ser mais agressiva para proteger os civis e implementar seu mandato, que, segundo afirmou, era robusto. "As regras de engajamento são fortes o suficiente, mas não estão sendo usadas com a força suficiente," disse o embaixador.

Sem comentários:

Enviar um comentário