sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Ministério usa tecnologias limpas em quatro províncias do país

Luanda - O Ministério do Ambiente, através do seu Projecto de Apoio ao Sector do Ambiente (PASA), inicia este ano, nas províncias do Huambo, Cabinda, Namíbe e Kuando Kubango, a fase piloto do uso de tecnologias ambientais limpas, no quadro da adaptação às mudanças climáticas.


Segundo o coordenador do PASA, Óscar Vieira Lopes, depois dos estudos de viabilidade realizados pelos técnicos do sector naquelas províncias, em 2010, estão criadas as condições para o arranque do projecto, financiado pelo Banco de Desenvolvimento Africano (BAD) e pelo Governo Angolano.


Em declarações à Angop, o responsável disse que nessas provinciais serão implementadas diferentes actividades, de acordo com as características de cada região, práticas de agricultura amiga do ambiente (sem o uso de fertilizantes), apicultura, sistema de bio gás, plantio de árvores frutíferas e outras em prol do ambiente e o bem-estar das populações.


O projecto, de âmbito nacional, foi lançado no principio de 2010 e vai permitir demonstrar e promover sinergias e boas práticas de gestão do uso da terra, conservação da biodiversidade, adaptação às mudanças climáticas, segundo Óscar Lopes.


De âmbito nacional, o projecto piloto será implementado nas províncias de Cabinda, Huambo, Namibe e Kuando Kubango, onde serão demonstradas e promovidas sinergias e boas práticas de gestão sustentável do uso da terra, conservação da biodiversidade, adaptação às mudanças climáticas e o uso de tecnologias ambientais limpas.



O projecto, com duração de cinco anos, conta com um financiamento de 12 milhões de Unidade de Contas, equivalente a 19.5 milhões de dólares norte-americanos, disponibilizado ao Governo Angolano, pelo BAD.


Este tem ainda a comparticipação financeira do Governo Angolano de dois milhões 175 mil dólares (10 porcento), de acordo com o coordenador do PASA, Óscar Vieira Lopes.



A acção vai abranger outras regiões do país, à medida que forem se desenvolvendo as actividades, tendo como fito apoiar o Governo a pôr cobro a deterioração e degradação da base dos recursos naturais de Angola, e introduzir boas práticas de gestão de recursos naturais, adaptação às mudanças climáticas e protecção ambiental.



Redução da pobreza, através da promoção do bem-estar sustentável baseado no controlo e gestão do meio ambiente e dos seus recursos naturais, reforço da capacidade institucional do Ministério do Ambiente e outras instituições intervenientes para uma protecção efectiva do meio ambiente e gestão sustentável dos recursos naturais, assim como as leis ambientais e o asseguramento do seu cumprimento, são outros objectivos do PASA.


O projecto engloba componentes sobre governação ambiental e reforço da capacidade institucional, conservação ambiental integrada e gestão dos recursos naturais.


No quadro da governação ambiental e reforço da capacidade institucional, prevê-se a formação de 40 quadros em pós-graduação e mestrado em ciências ambientais, biodiversidade, gestão de recursos naturais, avaliação do impacto ambiental mudança climática, além da revisão das políticas e legislação estratégica ambiental.



O projecto prevê ainda ao longo dos cinco anos a formação de 120 quadros em cursos profissionais de curta duração, 50 em línguas oficiais do BAD (francês e inglês), 200 inspectores em procedimentos e reportagens, 100 em metodologias e processos de avaliação de impacto ambiental e 40 juristas que serão actualizados em estratégias de aplicação e observação das leis ambientais.


http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/ambiente/2011/0/1/Ministerio-usa-tecnologias-limpas-quatro-provincias-pais,0d1b6a9a-ea8a-4aa6-95fa-99dd3407aded.html

Sem comentários:

Enviar um comentário