quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Grã-Bretanha quer avançar para área económica e social

Grã-Bretanha quer avançar para área económica e social

Parlamentares da Grã-Bretanha anunciaram ontem, em Luanda, a intenção do seu país em privilegiar as áreas económica e social na cooperação com Angola, sem excluir a procura de novos sectores.
O chefe da delegação, Bruce Grocott, reconheceu que a economia angolana está a crescer rapidamente e afirmou que empresários da Grã-Bretanha estão interessados em investir em vários sectores, com destaque para a Educação e Transportes, principalmente nos Caminhos-de-ferro.
Falando no final de um encontro com o secretário de Estado para a Coordenação Económica, Job Graça, o parlamentar britânico afirmou que o objectivo é contribuir para a diversificação da economia angolana, “com a implementação de outros sectores. Com este quadro, vamos, também, retomar as relações económicas, para encontrar outros sectores aos quais possamos dar o nosso contributo para o desenvolvimento da cooperação entre os dois países”, disse Bruce Grocott.
O Secretário de Estado para a Coordenação Económica adiantou, no final do encontro, que os parlamentares britânicos se manifestaram interessados em conhecer os programas do Executivo para a diversificação da economia.
Job Graça referiu que o modelo de desenvolvimento adoptado pelo Executivo “persegue a estabilidade macroeconómica, para que o investimento privado tenha lugar e seja implementado o programa de investimento público”.
Acrescentou que o Executivo pretende continuar a reabilitar e a desenvolver as estruturas económicas e sociais básicas para reduzir os custos de transacção e tornar os investimentos mais eficientes e rentáveis.

Oportunidades

Ainda ontem, os deputados britânicos estiveram na Agência Nacional para o Investimento Privado (ANIP) onde receberam explicações sobre as oportunidades de investimento em Angola.
O coordenador da comissão de reestruturação da ANIP, Aguinaldo Jaime, disse que, durante a troca de impressões, “ficou claro para os parlamentares britânicos que Angola é um país politicamente estável, com uma relativa estabilidade económica e um quadro de investimento atractivo e promissor”.
Aguinaldo Jaime sublinhou que Angola foi recentemente referenciado pelas Nações Unidas como um dos poucos países africanos que, em 2009, foi capaz de atrair investimento privado superior a três mil milhões de dólares, apesar da conjuntura mundial pouco favorável.
“Esta informação serve para sublinhar os esforços que estão a ser feitos em Angola no sentido de se criar um quadro propício para a atracção do investimento, favorecer o crescimento e reduzir a pobreza”, disse Aguinaldo Jaime.
O coordenador da ANIP reconheceu que a taxa de desemprego no país ainda é elevada e acrescentou que, quanto mais investimento o país atrair, mais emprego os cidadãos vão ter e mais rendimentos as famílias terão para a sua subsistência. Esta estratégia, acrescentou, vai reduzir a pobreza e estimular o consumo para outras áreas da economia.
Aguinaldo Jaime disse, também, que os parlamentares britânicos manifestaram interesse em incentivar empresas do seu país a estabelecerem-se em Angola e criarem marcas angolanas, com tecnologia britânica.

http://jornaldeangola.sapo.ao/20/0/gra-bretanha_quer_avancar_para_area_economica_e_social

Sem comentários:

Enviar um comentário