quinta-feira, 11 de junho de 2009

Obama Vai Receber Tsvangirai


O presidente dos Estados Unidos Barack Obama, vai receber Sexta-feira na casa Branca o primeiro-ministro do Zimbabwe, Morgan Tsvangirai.

Tsvangirai vem aos Estados Unidos proveniente da Europa, primeira etapa de uma viagem que visa tentar acabar com o isolamento económico do país.


As potencias ocidentais têm se recusado a reiniciar ajuda ao Zimbabwe enquanto não houver garantias que a lei será respeitada e que o governo passará a seguir uma política económica responsável.

Washington tem insistido também no afastamento de Robert Mugabe da presidência.

Uma das questões com que Morgan Tsvangirai terá eventualmente que lidar é a questão da expropriação de terras de agricultores de raça branca.

Na semana passada e pela segunda vez um tribunal da Comunidade de Desenvolvimento da Africa Austral, SADC, decidiu a favor dos agricultores acusando o Zimbabwe de perseguição racial. Isto significa que a próxima cimeira da SADC vai ter que tomar uma decisão sobre a questão.

O tribunal da SADC afirmou que os agricultores zimbabueanos estão a ser vítimas de perseguição racial e deu ordens para que isso termine de imediato.

O tribunal, sediado na capital da Namibia, Windhoek, tinha já no ano passado dado ordens ao governo do Presidente Mugabe para deixar de expulsar e intimidar 77 agricultores brancos. Nessa decisão o tribunal da SADC disse que os agricultores estavam a ser discriminados devido à sua raça.

Essa decisão teve como objectivo proteger os agricultores contra mais invasões das suas terras e forçar o governo a garantir a sua segurança e o seu direito à terra.

Apesar dessa decisão as autoridades zimbabueanas têm continuado a perseguir e a intimidar os agricultores. A Organização dos Agricultores Comerciais disse que a situação se deteriorou gravemente desde a formação do governo de unidade em Fevereiro.

O primeiro-ministro Morgan Tsvangirari afirmou recentemente num discurso que o programa de reforma agrária do país não tinha servido para ajudar o povo do Zimbabwe e tinha sido um instrumento de politica racista.

Na Sexta –feira o vice promotor de justiça do Zimbabwe representou o governo de Harare no tribunal afirmando ter reecebido instruções para pedir um adiamento da sessão.

Mas o tribunal rejeitou o pedido e ouviu depois acusações detalhadas da perseguição aos agricultores brancos.

O tribunal acusou o governo do Zimbabwe de violar e desrespeitar a decisão do ano passado citando a continuação das invasões e intimidação do s agricultores. O tribunal que o caso seja entregue à próxima cimeira de chefes de estado da SADC para que sejam tomadas medidas.

O advogado Jeremy Gauntlet descreveu a decisão como "forte e um triunfo da justiça em África". O advogado disse que a cimeira da SADC será um teste ao empenho dos chefes de estado em respeitar o primado da lei.

O advogado disse que uma delegação dos agricultores e de advogados que os representam irão à próxima cimeira em Kinshasa.

Mais de quatro mil agricultores de raça branca perderam as suas casas e rendimentos desde que Mugabe ordenou as expropriações em 2000. Milhares de trabalhadores dessas propriedades perderam os seus empregos.

Os agricultores brancos produziam 40 por cento dos rendimentos cambiais do país com exportações de produtos agrícolas. Metade da população do Zimbabwe depende agora de doações alimentares devido ao colapso da agricultura comercial


http://www.voanews.com/portuguese/2009-06-09-voa1.cfm

Sem comentários:

Enviar um comentário