quinta-feira, 30 de abril de 2009

Obama chega aos 100 dias


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira que, ao chegar aos 100 dias de governo, está "feliz, porém insatisfeito".

"Estou feliz com o progresso que fizemos, mas não estou satisfeito. Tenho confiança no futuro, mas não estou contente com o presente", afirmou o presidente em um pronunciamento na cidade de St. Louis, no Estado do Missouri.

O presidente afirmou que os americanos estão enfrentando uma crise que ficou latente por muitos anos, que será necessário um longo tempo para solucionar e as pessoas não deveriam fazer julgamentos minuto a minuto. No entanto, o presidente americano ainda deu um tom otimista a seu discurso.

"Hoje, em meu 100º dia de governo venho dizer a vocês, povo americano, que começamos a nos levantar e sacudir a poeira e começamos o trabalho de refazer a América... estamos trabalhando para refazer a América", disse.

Além do encontro na cidade, Obama deve também participar de uma entrevista coletiva que será transmitida pela maior parte das redes de televisão americanas.

Economia e política externa

Desde que assumiu o cargo em 20 de janeiro, Obama, entre outras medidas, aprovou um pacote de estímulo econômico, ordenou o fechamento da prisão de Guantánamo, estabeleceu um cronograma para a retirada dos soldados americanos do Iraque e deu sinais de que estaria disposto a retomar o diálogo diplomático com Cuba e Irã.

Mas, em seu 100º dia de governo o presidente americano enfrenta uma emergência doméstica devido aos casos de gripe suína, doença que já causou uma morte no país.

E a crise econômica iniciada antes do início de seu mandato não dá sinais de melhora.

Além do pacote de estímulo, Obama também tentou melhorar o quadro econômico do país com planos para recapitalizar os bancos americanos e salvar as montadoras.

Pesquisas

Obama venceu as eleições americanas em 2008 com 53% dos votos. A última pesquisa de opinião do Instituto Gallup mostra que o índice de aprovação do presidente continua alto: 65%, virtualmente inalterado desde o dia de sua posse.

Ao encerrar a primeira fase de seu governo, Obama deve se concentrar na aprovação de seu plano para dar a todos os americanos acesso a planos de saúde. E a introdução de um sistema para a redução das emissões de carbono e para o combate ao aquecimento global.

As perspectivas de aprovação pelo Congresso dos ambiciosos planos do presidente melhoraram na terça-feira, quando o senador republicano Arlen Specter anunciou que estava trocando de partido, e indo para as fileiras do Partido Democrata.

Se tudo correr como o esperado e a corrida pelo Senado em Minnesota for ganha pelo democrata Al Franken, o Partido Democrata de Obama terá os 60 votos no Senado necessários para rechaçar qualquer tentativa dos republicanos de bloquear legislações propostas pelo governo.

Sem comentários:

Enviar um comentário