quinta-feira, 30 de outubro de 2008

ONU condena avanço rebelde na República Democrática do Congo

Avanço dos rebelde na República Democrática do Congo
As Nações Unidas condenam o avanço dos rebeldes de etnia Tutsi na Republica Democrática do Congo e exprimem preocupação face a relatos de tiros de artilharia pesada na fronteira com o Ruanda.
800 de 17 mil capacetes azuis no país, a maior força de manutenção de paz do mundo, encontram-se posicionados em Goma, na capital do leste do antigo Zaire. Existem receios de que a cidade seja tomada de assalto.
“A população está a demonstrar algum medo. Medo de que os rebeldes possam entrar em Goma. Mas isso não vai acontecer, está absolutamente fora de questão”, referiu um soldado da ONU.
Com as suas forças às portas de Goma, o líder rebelde, o general Laurent Nkunda, do Congresso Nacional de Defesa do Povo, decretou “cessar-fogo unilateral”. Afirmou controlar de facto a cidade mas que pretende dar aos capacetes azuis o papel de manutenção de ordem nas ruas.
No terreno vivem-se momentos de desespero com uma maré de refugiados, empurrada pela violência dos combates, a deslocar-se para a cidade. A ONU refere que está a ser criada uma crise humanitária de proporções catastróficas mas não autorizou o reforço dos capacetes azuis na zona.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, anunciou que vai enviar dois emissários – um a Kinshasa e outro a Kigali, pois existem relatos de que os rebeldes estão a ser apoiados pelo Ruanda.
Kigali nega envolvimento.
Os rebeldes acusam o exército da República Democrática do Congo de colaborar com o movimento Hutu que esteve por detrás do terrível massacre de Tutsis em 1994.




1 comentário:

  1. Olá,
    Pode por favor arranjar-me o calendário de aulas/provas do propedeutico?
    elicunha19@hotmail.com

    ResponderEliminar