sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Anti-retrovirais serão produzidos em Benguela

Anti-retrovirais serão produzidos em Benguela
Angola vai em breve produzir anti-retrovirais. Os medicamentos usados para o tratamento do VIH-Sida serão produzidos na fábrica de medicamentos da Angomédica, em Benguela. A directora da Angomédica, Eduarda Ferreira Borja, que deu ontem esta notícia, esclareceu que os medicamentos serão produzidos numa fábrica de Benguela. Na capital do país, a Angomédica vai produzir 120 tipos de medicamentos. Os fármacos, a definir pelo Ministério da Saúde, fazem parte da cesta básica de medicamentos que Angola mais consome, entre os quais estão os anti-bióticos, anti-palúdicos, anti-diarréicos e soros fisiológicos.Em função da delicadeza dos anti-retrovirais, a directora da Angomédica informou não ser conveniente a sua produção na unidade da empresa em Luanda. Também as classes de anti-retrovirais serão definidas pelo Ministério da Saúde, de acordo com Eduarda Borja.A unidade de produção de medicamentos da Angomédica em Luanda, localizada no bairro Palanca, município do Kilamba Kiaxi, está a ser recuperada. Ontem, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, visitou as obras de recuperação da empresa, inaugurada em 1991.Quando as obras estiverem concluídas, a empresa será chamada Nova Angomédica. A nova fábrica de medicamentos vai reduzir substancialmente a importação de medicamentos e, de acordo com Eduarda Borja, a intenção é transformar a Nova Angomédica num fornecedor privilegiado de medicamentos às unidades sanitárias nacionais.A directora da Angomédica afirmou que a fábrica terá capacidade para abastecer igualmente alguns países da região Austral do continente africano.Desde finais de 2004 que a Angomédica está em obras de reabilitação. O regresso à produção de fármacos ainda não tem data, segundo Eduarda Borja, mas a recuperação termina em Novembro do ano em curso.Entre as alterações feitas na empresa, as salas de produção passaram de 23 para 63, evoluiu a tecnologia de fabrico e a Angomédica procura agora na Alemanha, Brasil e Índia parceiros internacionais para o suporte técnico da fábrica.A recuperação da Angomédica vai custar ao todo 8,7 milhões de dólares e o investimento feito até aqui ronda os seis milhões de dólares.SV


Sem comentários:

Enviar um comentário