terça-feira, 5 de agosto de 2008

OMC- fracassaram as conversações na Suiça


Organização Mundial do Comércio (OMC), fracassaram as conversações na Suiça

Conversações cruciais em Genebra, destinadas a assegurar um acordo para a liberalização do comércio mundial, fracassaram. Depois de nove dias de negociações intensas, as conversações ficaram bloqueadas na questão de estabelecer até que ponto as nações em desenvolvimento deviam ser autorizadas a proteger os seus mercados locais das importações dos países mais ricos.O chefe da Organização Mundial do Comércio, Pascal Lamy, disse que os países membros não conseguiram resolver as suas diferenças."Penso que não vale a pena continuarmas a insistir. Esta reunião fracassou. Os membros simplesmente não foram capazes de resolver as suas diferenças"..Disputas e tensão.Mas cabe perguntar agora o que é que este fracasso das conversações de Genebra significa na prática para os negócios que querem operar internacionalmente?Conduzirá isto a mais disputas comerciais e tensão política entre os países em desenvolvimento e as nações mais ricas?A batalha para chegar a um acordo de comércio global devia ter-se tornado mais fácil devido à globalização.De facto, tornou-se mais difícil, uma vez que os países por esse mundo fora adoptam medidas fortes para proteger os interesses das suas companhias, comerciantes e agricultores..Apostas elevadas.Mas as apostas são elevadas. O Banco Mundial calcula que um acordo de Comércio Mundial bem sucedido podia acrescentar 200 mil milhões de dólares por ano à economia global, uma ajuda enorme num tempo de desaceleração económica.Esta ronda de conversações começou sem grandes promessas de sucesso.A França e o Japão, por exemplo, disseram que não estavam interessados em mais compromissos sobre a questão chave da redução de subsídios aos agricultores, um sistema que eles insistem em que ajuda a manter a agricultura tradicional nas comunidades rurais.Sem avanços nesta matéria, os países em desenvolvimento recusaram-se a aceitar um acordo que, segundo eles, colocaria os seus agricultores em desvantagem quando em competição com mercadoris subsidiadas, mais baratas de que eles dizem ser inundados pelos países mais ricos..Ponto de confronto.Efectivamente, a agricultura representa menos de oito por cento do comércio mundial.Nestas conversações, disputas sobre qual o acesso que a América e a Europa deverão ter ao sector de serviços em rápido crescimento em mercados como a China e a India criou outro ponto sério de confronto.Na ausência de um acordo de comércio global, muitas nações fizeram acordos especiais numa base regional.A União Euroepia é o exemplo mais evidente de uma grande área de comércio livre e, actualmente, há mais de duzentos acordos de comércio internacionais e bilaterais, e espera-se que eles aumentem para quatrocentos até ao fim desta década..Vizinhos e amigos.Muitos estados poderão não estar preocupados com o colapso das conversaçõe de Genebra, porque eles estão convencidos que podem aumentar as trocas comercias com vizinhos e amigos.No entanto, isto poderá também tornar mais vulneráveis algumas das pessoas mais pobres do mundo.Os negócios nos países em desenvolvimento raramente têm sucesso sem o contacto com o mundo exterior.E se há disputas entre nações ricas e pobres, é provável que sejam os países em desenvolvimento a perder se não houver um conjunto claro de regras sobre como o mundo deve negociar.
BBC África

Sem comentários:

Enviar um comentário